Não gosto de filmes tristes, com finais bobos e sem moral. Não gosto daquelas comédias americanas que forçam as idéias e os visuais. Não suporto atriz peituda que acha que atuar é só fazer biquinho e poses. E não gosto de atores que acham que ser sensível é chorar o tempo todo. Enfim…

Resolvi, portanto, criar uma lista com os piores filmes que já vi. Muitos discordam de alguns títulos e tenho certeza que ainda falta muito filme ruim pelo caminho. Estou me empenhando para vê-los todos.

1- Cidade dos anjos.
(Sons de vômito). Aí o vento bate levemente nas bochechas da Meg Ryan e ela sabe que é o anjo que está ali. Jura? Porque para mim quando venta, eu sinto frio.
Fato é: o cara abandona a eternidade para poder passar alguns momentos românticos com ela. O que me leva à já comprovada teoria de que homens fazem qualquer coisa por sexo. E, como castigo, ele fica sem nada porque ela morre quando volta da padaria (?) atropelada por um caminhão. Além de tudo tem uma morte feia. Para piorar começa aquela música do Goo Goo Dolls que gruda na cabeça e não sai nunca mais. E de tanto tocar a gnt até acha boa….
Típico filme de sessão da tarde. Vai ganhar de “Lagoa Azul”. Ou de “Uma linda mulher”. E mais…Nicolar Cage é…pa-té-ti-co. Argh.

2- Titanic.
“Oh Jack, come back! Come back.” A melhor cena para mim continua sendo a aula de cuspe. Extremamente romântica. O que mais une um casal do que o cuspe?

E no cinema, todo mundo de saco cheio (3 horas de filme e não só ele morre, como ela também NÃO fica com o colar.), a resposta para esses “come back” (s) irritantes foi: “Afunda logo imbecil. Minha bunda já esta quadrada” Ri demais…isso porque era um drama. Demora mas acaba. Seja firma na pipoca.

3- Cubo.
“Oh meu olhos, meus olhos, Clementina”. Ok, essa frase não está no filme. Foi apenas para efeito dramático. Porque esse filme é um drama. É um drama problemático e sem solução e ridículo e só o deficiente mental se salva. Não testei as equações matemáticas que aparecem lá porque….não ligo a mínima. Continuo achando que se o filme fosse dentro de uma bola seria mais interessante.

4- Mar aberto.
Pela primeira vez torci para os tubarões. Spilberg sabia o que estava fazendo com aqueles 45 filmes sobre tubarões. Eram tubarões? Eram lacraias? Eram baleias? Não sei…mas aqueles dois batendo os braços sem chegar a lugar nenhum só me deu sono. E aí dormi no meio. Mas imagino que eles tenham se salvado. Ninguém estaria falando deles se os tubarões ganhassem. O que é, a meu ver, uma pena.

E não é que, para minha surpresa, fazem Mar aberto 2??? Para que? As pessoas não aprenderam nada com o primeiro? Ninguém sabe ainda que ficar no meio do mar não é legal? Cre-do!

5- O balão branco.
Eu adoro filmes cults. Demais. Posso ficar o dia todo numa maratona de pipoca, guaraná e cinema cult. O problema é que….filmes cults têm todo um conceito que muitas vezes eu não entendo. Os europeus nem tanto. Aí a gente aluga um filme iraniano e dá no que dá. Uma história sem pé nem cabeça e com um balão branco na mão. Os iranianos devem ter entendido. Quem conhece bem a cultura deve ter entendido. Talvez todo mundo menos eu. Como assim o filme termina quando ela consegue o dinheiro de volta que um cara tira de dentro do bueiro usando a infalível técnica de puxar a nota com a haste de um BALÃO BRANCO? O que esse balão fez de tão bom para merecer ser o protagonista? Bom, pelo menos ninguém morre. Só o meu senso de humor.

6- Guerra dos mundos.
Vale a pena dizer que Spilberg deu uma entrevista dizendo que a preocupação maior dele era manter o senso de realidade. Certo. Porque é bem real e natural uns Ets de 20 metros de altura, com “braços” como polvos, atacando a terra. Aham. E o Tom Cruise é baixinho…então imagino que os Ets sejam maiores ainda do que parecem.

7- Anaconda.
Jennifer Lopez atuando + Cobra gigante = Xixi nas calças.

8- O Grito.
O que será que passa nas cabeças das pessoas para ver esse tipo de filme? Sinto muito. Esse entrou na lista porque uma menininha de cara verde e dentes nojentos não merece o meu dinheiro. E pensar que vi esse filme no cinema. A vontade era de gritar pelo meu dinheiro de volta. A dado ponto, a sala riu. E eu tenho (quase) certeza de que no filme…não tem um único grito. Só grunhidos de seres ridículos. Oscar de maquiagem. Troféu Framboesa em todo o resto.

9- Carga explosiva.
Algo relacionado a um bad boy que dirige uma Benz chama minha atenção. Ele atira para matar. Dirige contra todas as regras que aprendemos naqueles filminhos de 1980 que passam para a gnt no CFC e ele nunca bate o carro a menos que ele queira! Incrível! E tem uma mulher. Lógico. E ele “se apaixona” por ela e promete defendê-la de tudo o que é ruim no universo. Bah.

Bebe leite porque esse café é fraco. Alguém já viu essa história antes?! Talvez…umas 30.000.000.000.000 de vezes? Nem as cenas de ação me empolgaram e olha que isso é difícil porque eu gosto de ME imaginar fazendo aquela bagunça toda com o carro. (Imaginem quando eu assisti Tomb Raider). Quero ver ele conseguir tudo aquilo com um fusca. Pronto. Falei.

Anúncios