A Língua Portuguesa é Foda

Difícil? Sim – é melhor eu começar a escrever difícil, do que começar a xingá-la, não que ela precise de xingamento, mas… – Difícil, e implicante para com pessoas, assim como eu.

Essa Língua é muito %$#@* (ops, sem xingamento), quero dizer, DIFÍCIL. Está em constante mudança, seu padronismo, formalidade e sua estrutura também. Estou falando sério, sua mudança é real e muitas vezes acontece sem a grande população perceber. O Brasil tem um pouco mais de 500 anos e, sinceramente, já mudou seu português, várias vezes. Para inicio de conversa, nosso português deveria se chamar brasileires, já que de português, não tem nada.

Bom, às vezes dá vontade de mandar a língua para *&%$@ (ops) – estou falando da língua portuguesa, não do órgão língua que fica na boca –. Nossa Língua Portuguesa do Brasil, tem inúmeros significados gramaticais para várias palavras, e mais, para confundir mais ainda, ou melhor, para aumentar ainda mais o grau de complexidade já existente na Língua, existe a possibilidade de fazer, dentro de uma frase, de um enunciado, o milagre de trazer alguém à vida, ou matar, tudo depende de como se utiliza uma simples vírgula ou ponto.

Informação é algo que, para mim, é excitante. Sou fabulosamente encantado com esse trem. Regionalismos, neologismos, estrangeirismo, whatever, cada vez mais se tornam mais comuns e por isso, talvez, às vezes, mais complicado se comunicar perfeitamente, sem margens para dúvidas. Bom, seria complicado mesmo, ou sou eu quem não entendo direito?
Inegavelmente se fala de uma forma e se escreve de outra. Isso é o que a população de lugares e mais lugares deixam bem claro ao se comunicar. O importante é se fazer entender. O escrever depende de um grau mais avançado de conhecimento da Língua, mas, às vezes, é possível alguém não ter um domínio explícito sobre o que se escreve, escrever um texto e conseguir ser mais claro e direto, do que quando outro alguém, que propriamente domina tal assunto, escreve também. Isso acontece e muito.

Findando minha linha de raciocínio, posso dizer que não sou bom em português, ainda cometo erros crassos, e como bem diz meus pais, sempre se pode utilizar o “pai dos burros”, o nosso dicionário. Escrevo muito errado, e não estou falando simplesmente de palavras erradas, estou falando principalmente da formação de uma oração, com seus substantivos, verbos, advérbios e adjetivos, mas posso concluir uma coisa depois de estudar um pouco essa Língua… (e agora, começar a me especializar nela). Alguém, um dia criou uma forma estrutural lingüística e desde então, o homem a adequou a seus propósitos, houveram várias variações que transformaram um VOSSA MERCÊ em um simples e aconchegante OCÊ, mas isso não importa, sinceramente não importa. A Língua vai estar sempre mudando em um constante movimento evolutivo (ou não).

O importante mesmo, para mim, é se fazer entender, claro, evidente, que de uma forma no mínimo correta e o correto pode ser visto como algo muito relativo.

Anúncios