Música é algo muito interessante.

Escutar o que se gosta é extremamente prazeroso, pode até mesmo ser orgástico, mas isso agora não vem ao caso.

Acabei de ler uma reportagem sobre a morte desse fantástico tecladista da FODÁSTICA banda PINK FLOYD (nome em homenagem aos bluseiros Pink Anderson e Floyd Council).

Pink Floyd é a banda que mais gosto. Gosto muito de outras, amo outras bandas também, mas o Pink é a que mais gosto, definitivamente.

A 1ª vez deve ter sido igual à de muiiiiiita gente, “Another Brick In The Wall (Part II)”, que tem seu início com “The Happiest Days Of Our Lives” (essa é a parte do helicóptero). Não tenho certeza, mas essa deve ter sido minha 1ª música deles sim. Como eu gostava (e as vezes ainda) de cantar “atirei o pau no gato”, seguindo o ritmo de …the wall.

Meu pai tinha alguns LPs (vinil, bolachão), e ai comecei a escutar, junto com um colega meu de colégio. A gente escutava Pink sem parar, um LP atrás do outro, horas sem parar. Depois comprei The Final Cut (1º disco que comprei na minha vida) e THE DARK SIDE OF THE MOON. Nossa que saudosismo bateu agora. Conseqüentemente, rsrsrs, um dia meu pai se aproximou da gente e falou que deveríamos escutar mais coisas, não só o Pink, mas ele não sabia que eu já tinha escutado tudo dele, Supertramp, Queen, Cat Stevens, Simom & Garfunkel, James Taylor e por ai vai, e que Pink Floyd era o que me contagiava mais.

É bom dizer antes que amo essas bandas, putz, olha que exemplo, QUEEN, mas o Pink tinha um algo a mais…

Assisti ao filme… Minha vida nunca mais foi a mesma…

Foi uma época conturbada, tomei decisões que moldariam meu caráter, minha consciência, enfim, moldaria o que sou hoje (nessa época decidi que queria ser filósofo, me tornei meio budista e conheci Francisco de Assis, fiz amizades que me acompanhariam até hoje e toda, toda vez que preciso tomar uma decisão pragmática, lembro que tenho que raspar a cabeça).

Foi com imenso pesar, que li a reportagem sobre a morte de Richard Wright. Fiquei mesmo triste.

Assistir o Pink Floyd tocar no Live 8 não tem preço. TODOS (quero dizer, não todos, Sid Barrett não estava presente) tocaram. PQP($#*@%), foi uma das coisas mais fantásticas que já aconteceu. Eu estava trabalhando, foi num sábado à tarde, já anoitecendo, minha irmã mais velha me ligou e ATRAVÉS DO TELEFONE, escutei Confortably Numb (a cena antes dessa música, NO FILME, em que o cara raspa o cabelo, a sobrancelha e os mamilos… foda), putz, eu quase chorei.
Lembro de outro show que assisti deles (sem o Roger Waters), que se transformou no EXCELENTE Pulse (o que lembro também é que estava correndo numa bicicleta ergométrica no meio da sala, em casa, rsrsrsr, e que estava gravando no vídeo cassete).

Pink Floyd não é simplesmente uma banda para mim, é A BANDA, o maior grupo musical que já existiu, os shows deles eram absurdamente grandiosos, absurdamente visionários.
Meu pai chegou hoje do trampo dele, eu estava escutando o álbum The Wall, ele se aproximou e falou, “morreu um dos criadores do Pink Floyd…”, e depois de conversarmos um pouco sobre, enquanto estava “fazendo” o café (o café agora é encargo meu, rsrsrs), e então disse também, “…essas bandas ETERNAS estão acabando, bandas que serão para sempre…, não tem mais bandas assim…”, aqui podemos incluir os Beatles.

As músicas do Pink Floyd são formidáveis, progressivamente ou não, whatever. The Wall é um extraordinário álbum, mas, para alguns fãs, muitos outros podem ser melhor, vide exemplo do MEGALOMANÍACO… THE DARK SIDE OF THE MOON. Já li que uma em cada cinco casas na Inglaterra, possuem o álbum e que também é possível que no mundo inteiro, não se passe 6 minutos, sem que alguém o esteja escutando. Conseguem imaginar isso. 6 MINUTOS sem que o álbum seja tocado, no MUNDO TODO. DARK SIDE é o álbum mais vendido no mundo UAI. CAR&%$#@, é para se impressionar ou não?
É, algumas pessoas não se impressionam, preferem escutar a dança do quadrado, mas nesse caso…

É impressionante outra coisa. As músicas do Pink são “completadas” umas pelas outras. Já perceberam que ao escutar algumas músicas deles aleatoriamente fica parecendo faltar algo mais? Algumas são difíceis, ou melhor, podem até conseguir, mas se escutarem “em ordem”, elas formam algo maior, mais completo, mais universalizado. Outra coisa impressionante. DARK SIDE é sincronizado sim com o filme MÁGICO DE OZ.

Pois é, é uma perda muito grande para o mundo musical… Como aquele teclado vai fazer falta…
Tenho muito a agradecer ao Pink Floyd, pela minha estrutura musical e por ter me incentivado a tomar a pílula vermelha (Matrix veio bem depois, mas tomei minha pílula uma década antes).

Que Deus cuide do Senhor Wright, e que ele faça música do outro lado com o Sid e companhia ilimitada que já se foi.

P.s.: Fotos da internet.

Anúncios