Durante 4 anos… Período em que durou minha faculdade de Filosofia, li muita coisa, mas, se me lembro bem, somente coisas relacionada à faculdade, ao curso. Não me lembro de ter lido 100% um livro que fosse de assuntos diversos, um romance, um conto, uma novela, whatever.

Como já foi discutido com meus caros amigos de blog, e já muito bem iniciado pela Bella Italiana, teremos aqui, sempre resenhas de livros que gostamos, que nos é indicado, que descobrimos ao acaso, e que tenhamos saboreado com prazer.

Bom, iniciarei minha parte, com um livro indicado pela própria Bella.

Travessuras da Menina Má. Livro de Mario Vargas Llosa, jornalista, dramaturgo, ensaísta, crítico e literário, nascido no Peru. Mas vou ir direto ao assunto que é o livro.

O livro é sem dúvida, um dos que mais gostei. A história percorre o tempo, percorre o espaço. Começa no Peru durante a juventude do protagonista e termina… Bom, melhor não dizer.

A vida pode muito bem nos indicar caminhos diferenciados, indicar sugestões de possibilidades variadas, mas o eterno retorno é uma conseqüência inevitável.

O amor é um sentimento que não necessita de explicações extravagantes, bom, talvez só a extravagância possa compreender tal sentimento, mas nenhum tipo de “tentativa” explicativa consegue definir o que o amor verdadeiramente representa, e isso é muito bem representado nessa história que atravessa décadas. O protagonista é um exemplo real de como tal sentimento é existencial, doloroso, caloroso, excitante, prazeroso e também muito agradável.

Poderia ser minha história ou de qualquer outro leitor que se deixa envolver por contingências do destino e olha que eu não acredito em destino.

O livro é muito bom e é uma excelente escolha pra dias chuvosos ou com o sol a pino, já que, além de todo momento ser bom para leituras boas, o livro tem momentos que se encaixam em qualquer ocasião.

Anúncios